Como fazer email marketing: Tudo o que você precisa saber para começar

Escrito por

Publicado em: 27 de Março de 2018 - Atualizado em: 6 de Abril de 2018

O e-mail marketing passou por mudanças importantes nos últimos anos desde a implementação do inbound marketing como parte estratégica de uma empresa, e da consolidação do e-commerce no Brasil.

O que antes era visto como spam e muita publicidade invasiva, se tornou uma ferramenta prática e estratégica para se comunicar e relacionar com clientes e prospects por e-mail, principalmente de forma personalizada.

Só para se ter uma ideia, segundo o The Radicati Group, o uso de e-mail em todo o mundo atingirá os 3 bilhões de usuários até 2020. Um número expressivo levando em conta que as pessoas abrem os seus e-mails várias vezes ao dia, seja pelo seu computador ou celular.

Crescente número de emails sendo lidos pelo smartphone

O importante é entender como fazer e-mail marketing de forma que gere retorno para o seu negócio, mas sempre pensando na construção de um diálogo duradouro com a sua base de e-mails.

Neste artigo abordaremos pontos importantes para as suas futuras campanhas, quer aprender como fazer email marketing? Continue a leitura.

O que é o e-mail marketing

Eu sei que você já ouviu esse termo diversas vezes, mas será que sabe mesmo o que é e-mail marketing?

Simplificando, e-mail marketing é uma maneira de se comunicar; seja entre uma empresa, negócio ou pessoa e sua audiência (seguidores, clientes, leads ou prospects) via email.

Existem alguns tipos de e-mails marketing comumente utilizados, eles podem variar de acordo com o contexto; mas com certeza você já se deparou com algum deles. Veja:

  • newsletters;
  • promoções de lojas virtuais;
  • materiais de sites ou blogs que você se inscreveu;
  • comunicados;
  • entre outros.

Além de planejar estrategicamente qual tipo será o ideal para sua próxima campanha, você precisará de um software para o envio desses e-mails. E aqui existem 2 tipos básicos: aqueles que fazem apenas o disparo e possuem opções básicas de segmentação de listas ou os mais robustos com fluxos de automação, geralmente utilizados não só para o disparo, como tambémpara a gestão dos leads da sua base. Mais adiante trataremos desse assunto.

Como fazer e-mail marketing

Não é tão simples quanto parece, nem tão difícil que não se possa começar hoje ainda!

1. Tenha objetivos e metas bem definidas

Ter um objetivo claro é o primeiro passo. Afinal desperdiçar seu tempo desenvolvendo esse e-mail e o de quem vai ler, não faz nenhum sentido.

É como se diz, quando se sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve. Claro que essa não é sua estratégia.

Alguns exemplos legais de objetivos que temos quando trabalhamos com email marketing é reativar clientes antigos por meio de uma estratégia de pós-venda.

Utilizando uma boa estratégia você poderá se relacionar com eles oferecendo conteúdos de valor que o estimulem a adquirir um produto ou solução.

Outro exemplo é quando utilizamos marketing de conteúdo para construir autoridade no mercado em que atuamos. Você pode ter CTAs em seu blog a fim de oferecer uma newsletter semanal com o conteúdo do seu blog corporativo para aqueles que se inscreverem. Se você não sabe o que é um CTA, assista a esse pequeno vídeo.

Com seus objetivos e metas definidos, siga para o próximo passo.

marketing-digital-para-melhorar-os-resultados

2. Crie uma lista de e-mails

Para se enviar um e-mail é preciso que se tenha destinatários e, de preferência, que estejam interessados no seu conteúdo. O que você não pode é comprar aquele CD ou Pendrive cheio de e-mails de pessoas que você nunca viu e que não te autorizaram a enviar um e-mail sequer para elas.

Entenda que se a sua lista não é engajada, não importa quantos e-mails você envie; por mais que suas campanhas estejam legais, não funcionará!. Além de ser SPAM e um desperdício de dinheiro e tempo, ninguém gosta disso.

A dica para montar listas de e-mails confiáveis é oferecer conteúdo relevante em diferentes canais, sempre convidado o visitante a se inscrever. Você pode utilizar redes sociais, blogs, podcasts, etc.

Caso você já tenha uma lista com os contatos dos seus clientes, invista nela! Conversar com essas pessoas será mais tranquilo, pois provavelmente já existe algum nível de relação comercial.

Dica: sempre opte por algum tipo de confirmação de inscrição para evitar uma lista suja com e-mails inválidos. Quem nunca inventou um e-mail para preencher que atire a primeira pedra 😅.

3. Segmente seu público

Muita gente peca por não segmentar o seu público. Caso você esteja iniciando, a segmentação é uma maneira de agrupar seus leads de acordo com um critério estipulado por você e de acordo com o seu negócio. Abaixo alguns exemplos de segmentação:

  • pessoas que baixaram um e-Book sobre “O que é SEO“;
  • mulheres na faixa dos 35 anos que compraram tênis de corrida;
  • leads que correspondem a uma persona;
  • clientes e Leads;
  • leads de topo de funil.

Você pode ter quantas segmentações quiser, só não pode deixar de ter. A segmentação é o primeiro passo da personalização e um passo importante para direcionar seus esforços com pessoas que corresponderão aos requisitos da campanha em questão.

4. Defina bem o tipo de e-mail

A apresentação conta muito e escolher o tipo certo de email é fundamental na construção dos padrões de comunicação que serão utilizados.

Além disso, você precisa ter uma estratégia bem definida para conduzir a conversa de maneira fluida. Por exemplo, caso um lead se inscreva no seu blog corporativo, você precisará definir como será o email de confirmação, se ele será de texto puro (ou seja, mais pessoal) ou se terá imagens como logo, ilustrações, assinaturas (e-mails mais comerciais).

Tudo isso faz parte e na sua estratégia é preciso definir quais e-mails serão para relacionamento, quais focarão em vendas, entre outras decisões que estarão no seu planejamento.

5. Tenha um padrão editorial

Definir bem o seu tom de voz e os limites que sua redação deverá respeitar; assim como a escolha do template, são essenciais para que o lead reconheça seu padrão de comunicação e interiorize isso.

6. Conteúdo é rei

Não é de hoje que o conteúdo é rei, não é mesmo? Mas pense bem, por qual motivo não seria? Faz sentido pra você se relacionar com uma empresa que não fala nada de útil pra você no seu dia-a-dia? Claro que não.

Escreva um conteúdo útil e saiba vender, não vá com tanta sede ao pote. Entenda seu lead, saiba em qual etapa do funil de vendas ele está. Caso você não tenha ou não faça ideia do que é isso, aqui está um post legal para você sobre funil de vendas.

Uma boa estratégia é ser objetivo, mas sempre fazendo a conexão entre o seu conteúdo e as necessidades (dores) do seu público.

Utilize recursos visuais como termos grifados, negritos, links, mas sem abusar. Destaque moderadamente apenas o que for necessário.

Por exemplo, se o seu e-mail for um promocional de loja virtual, esteja atento às fotos, aos links, deixe a oferta clara para que o usuário possa entender.

email-marketing-ebolsas-bh-contador-dia-do-consumidor

7. Tenha bons assuntos

O fator principal e determinante para a abertura de um e-mail é o seu assunto. Não adianta ter um conteúdo sensacional mas que o  assunto não desperte nenhum interesse e não estimule o lead a abri-lo.

A principal dica é ser criativo e conhecer sua persona para criar assuntos que realmente a faça sentir vontade de abrir o e-mail.

Vamos supor que seu negócio seja do segmento “fitness”, para abordar uma dica de reeducação alimentar, muito boa e comprovada, consideremos estes 2 títulos:

  1. Nova dica de reeducação alimentar no nosso blog. Confira!
  2. Revelada a dica que reeducação alimentar que já ajudou 231 pessoas.

Para você, qual dos dois desperta mais interesse?

Claro, o ideal é sempre testar e alinhar conforme os resultados, mas o número 2 possui elementos mais provocativos e mais conectados às dores de uma pessoa que precisa mudar seus hábitos alimentares.

Sendo assim, suas chances de abertura provavelmente serão maiores. Mas é como eu disse, sem achismos, teste tudo o que puder ou gerar dúvida.

8. Utilize um software profissional de e-mail marketing ou automação de marketing

Não vale escrever um e-mail, selecionar todos os seus contatos,colocar em cópia oculta e enviar. Tem que ser profissional! E para isso você precisa de um bom software.

Existem 2 tipos básicos de software, aqueles que trabalham apenas com a gestão do envio dos e-mails e aqueles mais completos que fazem a gestão do lead. Nesse caso, o envio é uma das ferramentas desse software.

Softwares que trabalham apenas com o envio, em sua grande maioria; garantirão uma boa taxa de entrega e métricas básicas como taxa de abertura, taxa de entrega, taxa de cliques em links, por exemplo.

Além disso darão possibilidades legais de criar listas de segmentação para enviar e-mails de maneira mais estratégica.

Já os softwares de automação de marketing trabalham com um ponto de vista diferente, onde a gestão do relacionamento é a base principal, não apenas o envio.

Assim, além das possibilidades da primeira opção, podemos contar também com funcionalidades mais avançadas como os fluxos de automação, landing pages, formulários inteligentes para captura de e-mails, entre outros recursos inteligentes que auxiliam na análise e tomada de decisão.

A título de curiosidade aqui na Assoweb utilizamos o RD Station, software que se encaixa nessa segunda opção.

Automação de Marketing

9. Tenha cuidado com a frequência

A frequência é algo que deve inspirar cuidados. Ter um ciclo de envio da sua newsletter é muito importante, pois assim você estabelece um padrão e para o leitor é importante, pois ele pode se organizar para receber seu conteúdo.

Mas cuidado com o exagero. Disparar e-mails insistentes e sem o menor critério pode causar o aumento de uma das métricas mais temidas do relacionamento por e-mail: a taxa de descadastramento.

Sempre analise com muito cuidado as taxas de interação como cliques e aberturas, leve o tipo de e-mail em conta também. No caso dos fluxos, ajuste os prazos e condições de entrada e envio para não cansar o lead.

E teste, sempre teste. Validar é importante e mata o achismo.

10. Acompanhe e analise as métricas

“Quem não mensura, não gerencia.”

Eu sei que você já ouviu isso antes, mas você monitora mesmo? Mais do que isso, você define as métricas? E baseado em quê, você as definiu? Como você as mensura?

Me desculpe te fazer tantas perguntas, mas com certeza você terá dados muito relevantes caso acompanhe as métricas das suas estratégias. Uma boa sacada é definir KPI`s.

Falando especificamente de e-mails, aqui algumas métricas interessantes para você começar a acompanhar:

  • Taxa de Entrega;
  • Taxa de Abertura;
  • Soft Bounce e Hard Bounce;
  • Taxa de Descadastramento;
  • Taxa de Cliques;
  • Taxa de Conversão de e-mails promocionais (vendas provenientes do email exclusivos de promoções);
  • Taxa de Conversão de e-mails de carrinho abandonado (vendas provenientes do email exclusivos de promoções);
  • CTR;
  • Taxa de Crescimento da Lista.

Acompanha e analise suas taxas e métricas

11. Leve a Jornada do Consumidor em conta

Se você utiliza alguma estratégia de Inbound Marketing, já deve saber da importância da jornada do consumidor para qualquer estratégia de marketing digital.

Ela vai te dar condições de atuar exatamente em cada etapa até a venda, se relacionando com o lead no momento certo, com o conteúdo certo.

Dessa forma você se orienta em toda a produção da sua campanha de e-mail: conteúdo, assunto, links, sequências e condições de entrada e saída de fluxos, entre outros.

O ideal é conduzir o lead entre essas etapas de maneira fluida.

12. Tenha uma política de privacidade

Se você deseja coletar os dados de algum visitante para futuramente realizar alguma ação, tenha uma política de privacidade muito clara e de fácil acesso.

Até para que você se resguarde juridicamente e tenha, também, um documento que deixe claro como você utilizará esses dados.

Isso passará segurança e credibilidade para as pessoas que deixarão seus dados sob os cuidados da sua empresa.

13. Acima de tudo, não faça SPAM

Não faça com os outros aquilo que você não gosta que façam com você. E eu dúvido que você goste de algum tipo de SPAM.

Essas práticas, além de chatas e inconvenientes, são desrespeitosas e se pensarmos em médio-longo prazo, irão deteriorar e desgastar a relação e imagem da sua empresa com leads e prospects.

Práticas de SPAM são amplamente combatidas por ferramentas e empresas envolvidas com a internet de alguma forma; como por exemplo o Google, Sendgrid, Mozilla, entre outros grandes.

Obviamente não é legal usar dados de outras pessoas de maneira indevida, além do mais você pode sofrer algum tipo de punição dessas empresas, como por exemplo a impossibilidade de utilizar de seus serviços e como se não bastasse; a inclusão do seu domínio em listas de SPAM.

Conclusão

Não, o e-mail marketing não morreu e está mais vivo do que nunca. E o que será determinante para o sucesso ou não está ligado diretamente a como você faz, analisa e se comporta.

Espero que esse post possa te ajudar a estruturar melhor suas campanhas e/ou a otimizá-las, caso você já esteja utilizando uma estratégia.

E você já sabe, se ficar alguma dúvida ou precisar de ajuda; é só comentar!

May the force be with you! 🤘

Um cara tranquilo que gosta de códigos e estratégia. É empreendedor, co-fundador da Agência Assoweb. Trabalha com SEO, Marketing Digital, Front-end, Back-end e Design. Adora ler, escrever, jogar futebol e tomar café. Ama sua família e é músico nas horas vagas!